A moda evangélica e suas influenciadoras

por The Look Stealers

Que as redes sociais conectam pessoas e culturas diferentes, isso não é novidade. Foi através das redes, inclusive, que surgiu um novo tipo de formador de opinião, as influenciadoras digitais que falam sobre os mais diversos temas. Entre os assuntos em alta nos últimos tempos, está a moda evangélica e, para entender melhor sobre esse universo, conversamos com influencers que utilizam as redes sociais para falar sobre fé, religião e moda.

Importante mencionar que ao pesquisar o tema no Google, você logo encontrará o termo webcrente. A expressão - que não é adotada por todos - surgiu no Twitter e vem da palavra webamigo, e é a maneira como alguns jovens cristãos se valem para se falar sobre a sua religião e se encontrar online mais facilmente. A mercadóloga e fundadora da comunidade webcrente, Sarão, explicou no seu perfil no Twitter que era difícil encontrar jovens que acreditavam no mesmo que ela e, com a disseminação do termo, a identificação se tornou mais rápida e simples. Esse grupo, assim como muitos outros, possui suas referências, artistas e também os seus influenciadores favoritos.

Thays Lessa - bermuda preta e camiseta - moda evangélica - outono - brasil - https://stealthelook.com.br
Foto: Thays Lessa (Reprodução/Instagram)

E falando em identificação, não podemos deixar de falar da moda. Afinal, ela é uma ferramenta de expressão pessoal e, de certa forma, seus símbolos unem pessoas. É na forma de se vestir que se entende características do outro e também como muitos grupos sociais reforçam seus ideais, como o movimento punk e a comunidade hippie na década de 70. A moda evangélica não difere, ela é uma maneira de identificação de um determinado grupo da sociedade. Esse estilo, por assim dizer, foi por muito tempo visto como conservador e cheio de regras, mas isso tem mudado com a nova geração de jovens cristãos e influenciadoras. 

Hoje, trazemos as nossas conversas com as produtoras de conteúdo Thays Lessa, que ama o universo da moda e o vê como uma ferramenta de comunicação de dentro para fora, e Patrícia Ramos, que além dos looks pra lá de estilosos, é referência no segmento de beleza.

Patrícia Ramos - vestido estampado - moda evangélica - outono - brasil - https://stealthelook.com.br
Foto: Patrícia Ramos (Reprodução/Instagram)

_influência da religião na maneira de vestir

Se você pensa em um código de vestimenta restrito e sem muita informação de moda quando escuta o termo moda evangélica, saiba que essa não é a realidade. Para a influencer Patrícia, "a fé não influencia na maneira de se vestir."

Dentro do seu closet, ela possui as mais diversas peças, de shorts a camisetas, porém nem tudo é usado para frequentar a igreja. “A Bíblia me orienta a andar em ordem e decência. Eu não vou à igreja com um decote, por exemplo, pois eu não me apresentaria assim diante de um juiz, de um advogado, em qualquer ambiente mais formal. Então, não me apresento dessa forma no templo também", diz.

Thays Lessa - moda evangélica - webcrente - outono - street style - https://stealthelook.com.br
Foto: Thays Lessa (Reprodução/Instagram)

Já Thays relata que a sua fé transparece em todas as áreas de sua vida, logo, há influência na sua maneira de vestir e na sua forma de se comunicar através da moda. “Uma das coisas que mais amo nesse processo e jornada é perceber o quanto essa relação tem uma influência gigantesca na minha noção de identidade e valor como indivíduo", conta, "Eu tenho consciência que o meu valor não está relacionado ao que visto e eu não preciso usar algo para ser 'aceita' e inserida em certos padrões.”

Patrícia Ramos - moda evangélica - webcrente - outono - street style - https://stealthelook.com.br
Foto: Patrícia Ramos (Reprodução/Instagram)

_moda evangélica

Na hora de se vestir, Thays escolhe as peças dependendo do seu humor no dia. Se há o desejo de se sentir mais poderosa ou está atrás de algo divertido, ela se vestirá dessa forma. É essa liberdade que ela vê como grande mudança no cenário evangélico com o passar dos anos.

Para ela, muitas coisas foram desmistificadas. As pessoas possuem estilos pessoais e não há o pensamento de que todas precisam se vestir de forma igual. O maior mito na moda evangélica é justamente a crença de que existe uma roupa "correta" para a religião. Segundo Thays, “moda é moda, é expressão e cada um pode usá-la para se comunicar e expressar quem é aonde quer que esteja.”

E quando perguntamos quais são os critérios para montar um look, Patrícia confessa que está sempre em busca de conforto e praticidade, e também percebeu uma mudança na moda evangélica nos últimos anos. "Há  alguns anos, você só seria reconhecida como uma mulher cristã, se você estivesse usando um vestido longo, uma saia jeans e uma blusa de manga comprida. Hoje, isso já não é mais realidade". Para ela, ainda existe o mito de que o cristão não possui referência de moda ou que é uma pessoa sem estilo. "Tinha que existir uma revista Cristãos Fashion Week”, brinca.

Deixe um Comentário
Você também vai gostar