Como é empreender e manter um trabalho fixo com Luana Maitelli, mente criativa da Lulux

por Sofia Stipkovic

Pra mim é muito pessoal escrever sobre a Luana Maitelli. Aliás, que estranho chamar minha amiga pelo nome completo! Conheci a Lu há muitos anos graças ao Instagram; ela morando no Rio de Janeiro, eu em São Paulo. Pouco tempo depois, a vida nos uniu lado a lado no mesmo escritório e a amizade virtual floresceu no offline. Acompanhei suas mudanças de carreira e vi nascer a Lulux, sua marca de acessórios alegres. Hoje, do lado de cá do post, dá um baita orgulho perguntar à ela coisas do tipo como é empreender e manter um trabalho fixo, de onde vêm as suas inspirações, etc. Porque de certa forma, eu sei essas respostas mas é demais poder compartilhá-las com vocês que leem o site.

Mas enfim, não estamos aqui para falar sobre a minha admiração óbvia pela Lu e sim sobre a sua trajetória independente, empreendedora, criativa, talentosa e correria mesmo. Então vamos à entrevista completa com a mente criativa por trás da Lulux:

Quando surgiu a ideia de empreender e por quê acessórios?

Para falar um pouco sobre a Luana empreendedora de hoje, precisamos voltar um pouquinho no tempo. Por algum motivo, eu sempre estive muito envolvida com acessórios e só há pouco tempo me dei conta de que o primeiro lugar que eu vou quando visito alguma loja é a seção de acessórios! Hoje, eu realmente acredito que os acessórios são ferramentas poderosas para você criar o seu storytelling visual de uma forma única. 

Lá em 2012, eu tive a ideia de montar um e-commerce de acessórios durante a faculdade. Eu tinha zero conhecimento e zero dinheiro, e durante algum tempo toquei esse negócio paralelamente à faculdade e ao meu estágio em uma agência de publicidade grande em Curitiba. Depois de algum tempo, quando me formei, senti que precisava muito estar no mercado de novo. Voltei para o trabalho fixo e acabei mudando de cidade, fui morar no Rio. Corta para 2018, já morando em São Paulo, quando comecei a fazer alguns colares em pérola de água doce, miçangas e pingentes para usar. Comecei desmontando peças que estavam esquecidas no meu acervo e montando novas, misturando um pingente de uma pulseira em um colar e assim foi. Eu não achava tão facilmente essas peças para comprar nas marcas daqui, só via em marcas gringas no Instagram então resolvi fazer as minhas próprias, do jeito que dava. Em pouco tempo, minhas amigas começaram a pedir para que eu fizesse para elas. Eu nunca achei que empreender fosse a minha praia. Eu sempre gostei de segurança (e ainda gosto, rs) então achava que não era pra mim. Acabou rolando de uma maneira orgânica, com muita resistência inicial da minha parte.

Dá pra dizer que é mais difícil empreender agora?

Acredito que empreender seja difícil em qualquer momento, mas o que eu vejo do agora e também do que permeia o contexto que eu estou inserida é que há uma dificuldade muito grande de se manter relevante em um universo tão volátil. Todo dia surge uma iniciativa nova, aparecem coisas muito parecidas com o que você faz e também estamos em um momento delicado, estamos muito sobrecarregadas de informações, imagens, notícias, marcas, pessoas.

Você tem alguma dica para quem está ensaiando empreender?

Baseado na minha experiência, se eu pudesse dar um conselho, seria algo como respeitar seu momento, seu processo e seguir o flow da sua intuição. Às vezes a gente acha que precisa de um super planejamento e de muita grana para começar a fazer alguma coisa. E veja, eu não estou dizendo que isso não é importante. É muito, mas eu acredito que quando os astros estão alinhados para alguma coisa rolar na sua vida, ela simplesmente flui. Comece. Comece com pouco, comece devagar e não precisa começar perfeito. Simplesmente faça, porque enquanto a gente fica planejando mil coisas, tem gente que sai na frente simplesmente por fazer. Siga sua intuição, faça com amor e verdade, cerque-se de pessoas que vão te apoiar e se não tiver nada disso, invente o seu rolê sozinha. Seja gentil, tenha orgulho do seu trabalho, mas não se ache melhor que ninguém, construa bons relacionamentos e foque na sua essência e no que tem você tem de melhor.

Além da Lulux, você tem um emprego fixo. Como não surtar com essa jornada dupla?

É um verdadeiro caos, não vou mentir, mas um precisa do outro para sobreviver. O meu trabalho CLT me traz segurança, mas para além disso, aprendo muito e essa dupla jornada gera trocas que transitam de um para o outro e que me fazem enriquecer muito como profissional. Ter um projeto paralelo também acaba agregando muito no meu dia a dia como Luana CLT. Mas a realidade é que essa dupla jornada só está sendo possível porque estamos no meio de uma pandemia, então além de eu não ter os tempos de deslocamento nos dias de semana, eu também tenho tempo livre aos fins de semana.

E como você divide o seu tempo?

Tive que criar uma rotina de disciplina para que uma coisa não invada a outra. Eu sou muito metódica no meu trabalho, então eu estipulo horários. Passei a acordar mais cedo do que o habitual para responder mensagens de clientes, e-mails e ter um overview de tudo na Lulux. Perto das 9h começo meu dia de trabalho no meu trabalho CLT e vou até às 18h ou 19h. Faço coisas como Correios na hora do almoço e apenas uma vez por semana. À noite, separo pedidos do dia, embalo e tiro um tempo para produzir peças da Lulux. Aos fins de semana é a mesma coisa. Tento tirar pelo menos um dia para descansar e não fazer absolutamente nada de trabalho, e dependendo da demanda eu consigo. Não me orgulho de estar com uma rotina de trabalho intensa, mas entendo que hoje preciso disso para segurar todos os meus pratinhos.

Falando nos acessórios agora, você acha que o seu estilo pessoal reflete na Lulux? Ou prefere buscar inspirações em outros lugares para criar?

Reflete demais. Isso isso acontece porque, como eu comecei a criar os acessórios pra mim, eles refletiam de fato as minhas vontades, ideias e estética. Eu busco inspiração em outros lugares, mas inevitavelmente eles transitam muito no meu universo visual. Eu gosto de trabalhar dessa forma, abro mão de fazer peças que eu sei que são comerciais e que iriam "vender para caramba" porque não vale a pena construir alguma coisa que fuja do que eu acredito para mim e para a marca. A Lulux sou eu e eu sou a Lulux, foi uma forma que eu encontrei de colocar pra fora, em forma de produto, muito do que existe na minha cabeça.

E qual é a maior tendência agora na sua opinião?

Estamos numa tendência de valorização forte do feito à mão, então acho que isso impulsiona coisas que tenho visto como muranos e pérolas pintadas à mão e cerâmica. Fora isso, pérolas e anéis de dedinho e peças que nos despertam nostalgia.

Estamos apaixonadas por sua casa e queremos saber: de onde vêm as inspirações para decorar? 

Obrigada! Eu amo a minha casa, já morei em mais de 20 casas diferentes em toda a minha vida. É chocante! Acho que essa instabilidade geográfica, digamos assim, fez com que eu desenvolvesse uma relação de muito apego com meu lar. Essa é a minha quarta casa nos últimos três anos de São Paulo e eu juro que não aguento mais me mudar. Acredito que uma forma de criar raízes com e na sua casa é transformar ela numa extensão de você. Então é isso que eu tento fazer por aqui: trazer um pouco do meu universo e das minhas referências materializado dentro de casa.

Você disse que a nossa casa é uma extensão nossa. Então podemos acreditar que a decoração forte da sua traduz também quem você é, o seu estilo?

Bom, quando se é uma pessoa muito visual é natural que as coisas se misturem um pouco. Eu me considero uma pessoa meio over em alguns momentos e sei que a decoração da minha casa também passa essa impressão para pessoas mais minimalistas, digamos assim. Tenho uma parede listrada em vermelho ao lado de outra que é um matagal de coqueiros, e não é todo mundo que aprecia isso, rs! Mas acho que a decoração da sua casa é algo que está para além da "tendência". É um acumulado de coisas que dizem sobre você, que precisam fazer com que você se sinta bem, segura, que se sinta feliz. A decoração da sua casa não é algo que você troca como troca de vestido. Apesar do mercado nos dizer que de ano em ano tem um revestimento novo a ser usado, eu gosto que a minha casa seja um monte de coisas que talvez não faça o menor sentido pra muita gente, mas que faz todo o sentido do mundo pra mim.

 

Agora deixamos para vocês uma seleção dos acessórios divertidos e muito cool da Lulux:

STEAL THE LOOK ON instagram

Deixe um Comentário
Você também vai gostar