Como fazer a limpa e organizar o guarda-roupa se você é apegada

por Jéssica Menasce

Uma vez a cada três meses eu faço a limpa no armário. Ligo a música, prendo o cabelo e me preparo para a árdua missão que é desapegar e organizar o guarda-roupa, lembro sempre de onde comprei cada peça, quando usei e todos os momentos que tive com ela. E em tempos de pandemia, no qual estou usando sempre as mesmas roupas, apesar de me vestir todos os dias, é ainda mais difícil, principalmente por não conseguir aplicar uma das minhas maiores regras de desapego, que é estar há mais de 1 ano sem usar aquele item.

Então dessa vez, resolvi me impor algumas regras básicas para colocar em prática na organização da vez. Começo separando todas as peças que tenho alguma dúvida e depois respondo algumas perguntas, o que já faz um filtro geral e me ajuda muito. 

Jéssica Menasce - organizar o guarda-roupa - organização - outono - street style - https://stealthelook.com.br
Foto: Jéssica Menasce (Reprodução/Instagram)

Decidi compartilhar o meu passo a passo na hora de organizar o guarda-roupa, então anota o checklist, abre o armário e vem comigo:

_a peça está em bom estado?

Essa é uma das perguntas mais complicadas, porque temos peças que usamos tanto, mas tanto que acabam ficando mais gastas e é difícil desapegar. Mas é super importante entender que se ela tem furos, rasgos ou manchas, talvez seja hora de dar tchau e abrir espaço para o novo. O novo no caso pode ser uma peça quase igual, viu? E caso você tenha alguma roupa muito parecida, mas de qualidade e estado melhor, fica com a que está em melhor condição!

_consigo montar pelo menos 4 looks com a peça?

Quem nunca comprou uma roupa e depois percebeu que não tinha nada a ver com o resto do armário e acabou deixando a peça lá parada? Muitas vezes, na vitrine pode parecer lindo, mas se não funciona com o resto do seu guarda-roupa, não tem porque mantê-la, seja forte e passe pra frente. Inclusive, existem diversos serviços por assinatura de roupa, que você pode pegar essas peças mais diferentes para ousar e depois devolver, sai mais barato e não ocupa espaço.

_a peça está de acordo com o meu estilo no momento?

De tempos em tempos o meu estilo vai mudando, dependendo do emprego, do momento de vida ou até mesmo das tendências que estou amando e querendo aproveitar. Tenho muito apego sentimental a algumas peças que não consigo usar de jeito nenhum, mas uma boa dica para as apegadas é: separar e pedir pra outra pessoa passar o olho com uma análise mais crítica, super vale pedir ajuda!

_posso transformar em outra peça?

Rainha do DIY aqui, quando tem alguma peça que eu gosto muito, mas está parada há muito tempo, penso nas mudanças que posso fazer nela. Calça vira bermuda, blusão vira cropped, vestido longo vira curto, e por aí vai... às vezes eu até mando na costureira pra fazer uma mudança radical.

_ela te serve ou cai bem?

Essa regra vai para quem costuma comprar sem provar ou compra muito on-line e depois fica com preguiça de trocar. Muitas vezes, acabamos mantendo algumas peças com aquela desculpa "vou mandar arrumar" ou "algum dia pode funcionar". No geral, se a peça não cai bem ou ficou apertada com o tempo, raramente vale a pena segurar!

_quando foi a última vez que eu usei?

Coloquei essa última dica aqui porque ela é extremamente útil, mas não em tempos de pandemia. Não saio de casa há mais de um ano e se essa regra estivesse valendo, teria que me desfazer de 80% do armário, só ia sobrar moletom ou roupas que fiquem confortáveis quando estou deitada. Mas não deixa de ser uma dica valiosa na hora de fazer a limpa e organizar o guarda-roupa, né?

_passe pra frente

E depois que finalizar: doe, venda, repasse as roupas o mais rápido possível, se não, você pode acabar indo fuçar a sacola e pegando várias peças de novo! A sensação depois é libertadora e abre espaço para novas peças que façam mais sentido, é difícil para as apegadas - como eu - mas vale a pena, depois vira um hábito e cada vez fica mais fácil.

Deixe um Comentário
Você também vai gostar