Guia da acne: tudo o que você deveria saber sobre espinhas e afins

por The Look Stealers

Uma pele com acne é, antes de mais nada, uma pele que pode tudo. E é sempre bom relembrar isso. Mas, é injusto não reconhecer que ter a pele acneica pode gerar desconforto e insegurança, principalmente se não há autoaceitação ou conhecimento para cuidar das espinhas e afins.

É importante saber que a formação de acne pode ser uma condição genética e também hormonal. E mais, você sabia, por exemplo, que o estresse também pode refletir na pele através do surgimento de espinhas? Pois é, não existe, portanto, correlação entre limpeza da pele e acne, e os motivos pelos quais essas inflamações aparecem podem ser inúmeros. O primeiro passo é sempre procurar um dermatologista para que ele investigue os fatores e possa, junto com você, entender a melhor forma de cuidar da pele acneica.

Para você, que possui pele oleosa e sofre com as espinhas ou desenvolveu a pouco tempo com o estresse, criamos a partir de hoje o Guia da Acne. E neste primeiro guia, conversamos com a dermatologista Dra. Silvia Quaggio a fim de te ajudar a entender tudo sobre as espinhas e afins e como tratá-las.

modelo acne  - acne - acne - outono - brasil - https://stealthelook.com.br
Foto: Rebecca (Reprodução/Instagram)


_qual diferença entre acne e cravo?

Acne é uma doença de pele que acontece a partir de inflamações das nossas glândulas sebáceas, responsáveis por produzir suor. O cravo também é uma espinha, porém em um grau leve.

Este é outro ponto: existem diferentes graus de acne. O primeiro são os cravos, já a acne de grau 2 são cravos juntos à lesões avermelhadas com pequenas elevações. A acne grau 3, por sua vez, possui cravos e acnes de grau 2 com nódulos e cistos, e, por fim, a acne grau 4 possui todos os graus anteriores juntamente com bolinhas de pus.

_como a acne surge?

A acne pode surgir por diversos fatores. A mais comum é durante a adolescência, quando há maior oscilação hormonal unida a uma predisposição genética. Para a mulher adulta é habitual o desenvolvimento de espinhas por causa de disfunção hormonal, e o exemplo mais comum é a síndrome dos ovários policísticos.

A alimentação também influencia muito na formação da acne. Uma alimentação com excesso de alimentos gordurosos, açúcar e lactose auxilia na formação de espinhas, em acréscimo, o estresse e tabagismo são outros fatores que potencializam.

_como tratar?

O tratamento é sempre determinado junto a um dermatologista, e varia dependendo do grau da acne e do caminho que for melhor para você. A Dra. Silvia traçou alguns exemplos:

Acne grau 1: é recomendado o uso de sabonete para pele oleosas, principalmente os que possuem ácido salicílico, enxofre, PCA zinco em sua composição. É importante também hidratantes com nicotinamida e uso constante de  protetor solar para peles oleosas. A Dra. Silvia recomenda também limpeza de pele uma vez ao mês. 

Acne grau 2: normalmente são indicados tópicos a base de adapaleno, peróxido de benzoíla e tretinoína, e se a pele estiver muito inflamada, será indicado também antibióticos. Para este tipo de espinha também é recomendado a limpeza de pele ou peelings e lasers, dessa maneira o tratamento será mais profundo e rápido. 

A partir da acne grau 3: por ser o tipo mais severo, se unem os tópicos, os antibióticos no início do tratamento e muitas vezes a medicação isotretinoína. Ela é responsável pela diminuição do sebo, o que auxilia na diminuição da inflamação.

Se você é adolescente ou uma mulher na vida adulta e possui formação de acne é importante investigar alterações hormonais, o resultado ajudará em um resultado mais eficiente. E lembre-se: não é preciso se esconder do mundo ou deixar de fazer atividades, como makes, por conta da pele acneica. 

Abaixo uma lista de produtos que podem te ajudar a cuidar da pele:

STEAL THE LOOK ON instagram

Deixe um Comentário
Você também vai gostar