Um papo sério sobre: amizades abusivas

por Giulia Coronato

Infelizmente, conhecer alguém que tenha passado por um relacionamento abusivo é comum - muito porque se debate mais sobre o assunto e, assim, se consegue identificar esse tipo de comportamento com mais facilidade. Mas, se você pensa que relacionamentos abusivos se restringem a relações amorosas, pense de novo. Cada vez mais nos deparamos com comportamentos tóxicos dentro de qualquer tipo de relação, seja profissional, familiar ou até de amizade - o que se chama de amizades abusivas. Basicamente, isso acontece quando uma das duas pessoas possui um excesso de poder em relação à outra, a oprimindo, manipulando e, eventualmente, abusando de alguma maneira - psicologicamente, fisicamente, verbalmente ou até sexualmente em alguns casos.

Hoje, o papo é sobre esse tipo de relacionamento tóxico, as amizades abusivas. Como dissemos acima, todas as relações humanas - de amizade, amorosas, familiares ou até profissionais - têm potencial para se tornarem abusivas, o importante é conseguir identificar e saber quando e como sair dessa situação. E acredite, não é fácil compreender que se está em uma amizade abusiva. Na maioria das vezes, a ficha demora a cair, pois nunca se espera que alguém que supostamente deveria nos apoiar, nos ajudar e nos celebrar, tenha esse comportamento ruim e manipulador.

-                -                -                -                - https://stealthelook.com.br

como identificar que estou vivendo uma amizade abusiva?

Não existem relações perfeitas e é natural que aconteçam discussões. Mas, a diferença crucial é que, em uma relação saudável, existe espaço para o diálogo, para a reflexão, para a crítica e a autocrítica, e para ouvir a opinião do outro. Em relações tóxicas, como em amizades abusivas, não há espaço para nada disso. Só para ataques e manobras que te deixam mal. Abaixo, reunimos alguns alertas que denotam quando uma amizade pode ser abusiva: 

_um elogio seguido de crítica

Sabe quando você recebe um elogio e logo em seguida é diminuído? Esse é um comportamento característico de amizades abusivas. Apesar desse amigo descarregar um caminhão de elogios frequentemente, a frase nunca termina com palavras positivas. Depois de uma declaração de admiração, por exemplo, é comum que a pessoa abusiva solte uma crítica, aquele “mas” que te puxa pra baixo e joga sua autoestima e sua autoconfiança no chão. 

_dependência emocional

A dependência emocional é um dos principais alertas quando falamos de relacionamentos abusivos em geral. Uma pessoa que está sendo abusada e violentada emocionalmente quase sempre apresenta dependência do abusador. Isso acontece por conta da manipulação, que faz a vítima acreditar que, sem aquela pessoa, ela não tem e nunca terá nada melhor.

Regadas à altas doses de ciúmes, é comum encontrar amizades abusivas sufocantes, onde o outro vai sempre querer provar que ele é o único capaz de te ajudar, te acolher e te amar. E isso não é nem um pouco verdade.

_o amigo não vibra com suas conquistas

Parece algo pequeno, mas não comemorar nenhuma das suas conquistas - por menores que elas sejam - talvez seja um indicativo de que a pessoa ao seu lado não quer o seu bem como ela diz. O amigo abusivo normalmente se prontifica para ajudar na hora da derrota e é o primeiro a duvidar do seu sucesso sem saber lidar com suas vitórias, que não dependem dele. 

_você se afasta de seu ciclo social

Assim como acontece em relacionamentos amorosos abusivos, em amizades abusivas, remover o sistema de apoio da vítima é um dos principais jeitos de manipular e de controlar a pessoa. Muitas vezes você se distancia por completo do seu círculo de amizades e acaba se vendo excluído do grupo que um dia foi sua base de apoio - e poderia te ajudar agora. 

_viver sob constante questionamento e julgamento

Viver sob constante julgamento não é normal, nem saudável. Se toda decisão e opinião precisa ser justificada nos mínimos detalhes, fique atenta. "É normal que amigos nos desafiem de forma altruísta. Mas, quando te julgam, eles impõem seus valores no lugar de reconhecer suas necessidade e princípios", afirma Andrea Syrtash, especialista em relacionamentos e autora do livro He’s Just Not Your Type – And That’s A Good Thing. 

Se sentir pequena, julgada e questionada a todo momento que você se impõe não deve ser normalizado. Críticas construtivas são ótimas e necessárias, mas a quantidade e frequência com que são feitas deve ser um sinal de alerta. 

o que fazer?

É importante dizer que muitos abusadores agem dessa forma porque sofreram algum abuso ao longo da vida e, psicologicamente, reproduzem o comportamento ou de maneira consciente ou inconsciente. Quando conseguimos identificar que estamos em uma relação abusiva é preciso pedir ajuda. Falar com sua rede de apoio, seja a família ou até outros amigos nos quais você confie, é essencial para se fortalecer, se perdoar e, se necessário, buscar auxílio psicológico. Saiba que você não é culpada, não está errada e não merece ser punida por isso. 

Para casos graves, onde haja qualquer tipo de violência física, ligue imediatamente para o 180 e se proteja. 

Você também vai gostar