STEAL THE LOOK | SHOP - ACESSE!
fechar Fechar aviso

Bate papo com Carol Trentini

por Aline Santos

Você provavelmente já ouviu falar da top model brasileira que tem rosto de boneca e jeito de fada, sim estamos falando da Carol Trentini, gaúcha que nasceu na cidade de Panambi, interior do Rio Grande do Sul e aos 15 anos quando foi descoberta por um olheiro mal sabia as coisas lindas que o futuro lhe guardava.

A Carol tem um jeito delicado, mas se engana quem pensa que essa delicadeza toda pode ser frágil, afinal ela é uma mulher forte e corajosa. Não é para qualquer um sair da sua zona de conforto e se aventurar em outras áreas artísticas, porém a Carol fez isso com maestria quando em 2018 participou do programa de televisão, PopStar, onde aceitou o desafio de soltar a voz e para a surpresa de todos, que voz linda!

A musa mostrou ao mundo que nasceu com um dom que vai muito além da vida profissional e quando o assunto é família, ela que é casada e mãe de dois meninos lindos, Bento e Benoah, sabe dividir muito bem o seu tempo em casa com os filhos e ser estrela de capas das maiores revistas de moda do mundo (vale dizer que é uma das modelos queridinhas da toda poderosa, Anna Wintour, editora da Vogue norte americana).

Nós batemos um papo com a Carol no qual você confere abaixo e também já pode aproveitar para roubar os looks da gata, let's go

STL: Desde sempre trabalhar com moda estava em seus planos ou antes de começar a modelar você queria seguir outras carreiras?

Carol: "Na verdade como comecei muito cedo eu não tinha nem plano de carreira, não tinha pensado em nada concreto, sabe? Eu comecei com 15 anos então eu era muito novinha. Foi tudo acontecendo muito assim no susto quando me descobriram".

STL: Teve momentos na carreira como modelo em que você pensou em desistir? E qual foi o momento em que você soube que estava no caminho certo? 

Carol: "Na verdade o DESISTIR não, eu só repensei muitas vezes o por que certas coisas estavam acontecendo e no começo eu sofria bastante com essa coisa da solidão, de estar muito sozinha e não saber falar inglês, viajar e ter que me jogar. O desistir nunca passou pela minha cabeça, mas sempre tiveram momentos muito difíceis, mas uma certeza que eu tinha, que minha mãe me dizia muito, era tipo: - volta pra casa quando precisar, se não der certo volta pra casa! Então sabendo que eu tinha essa raiz, essa certeza de lar, me dava segurança e essa força para continuar.

Eu soube que estava no caminho certo quando as coisas começaram a acontecer lá fora, mas primeiro a minha independência financeira, já que no Brasil, graças à Deus, eu comecei a trabalhar e desde o começo já fiz coisas legais. Mas lá fora quando eu fui chamada não a primeira vez, mas a segunda, terceira, quarta vez para fazer Vogue América, trabalhar com o Steven Meisel e gente muito importante. Foi em 2004 eu acho que isso começou a acontecer de verdade".

STL: Depois de ter filhos mudou muita coisa na sua rotina de trabalho?

Carol: "Muita, completamente e foi uma virada total! Eu era a Carol que dedicava 90% à carreira e 10% à mim. Antes de ter as crianças eu nunca nem viajava a lazer, tipo peguei férias e vou fazer uma viagem, nunca fazia isso. Eu só trabalhava e minhas viagens eram à trabalho e eu sempre aproveitava os lugares que conhecia e tal, mas sempre à trabalho então as crianças com certeza me desaceleraram e hoje é tudo mais filtrado apesar de ter trabalhado depois delas, e eu fiz muito mais coisas e muito mais trabalhos de qualidade eu acredito. E eu também não sabia como seria depois das crianças e se tudo voltaria como antes e, graças à Deus, não só voltou como melhorou muito! Mudou também minha visão com mais maturidade para com o trabalho, eu acho que isso me ajudou bastante". 

STL: Qual a melhor e pior parte de trabalhar com moda?

Carol: "A instabilidade é ruim e bom ao mesmo tempo, vou falar isso porque acho que meio que é o que tem os dois lados, sabe? Por que é bom você viver sabendo que não tem o jogo como ganho, sempre se esforçando para fazer o melhor e isso tem os dois laos, bom e o ruim, porque você também não tem aquela certeza e segurança 100%. Ah os presentes também são ótimos, de vez em quando todo mundo gosta! Mas eu acho que é essa coisa meio que pisar em ovos porque você nunca sabe o dia de amanhã e isso te dá mais gás para dar o seu melhor sempre".  

STL: Sobre sua incrível participação no programa PopStar, você acabou surpreendendo muita gente com essa voz afinada. A música sempre esteve presente em sua vida ou só depois do PopStar que você descobriu que tinha talento para cantar?

Carol: "Foi uma surpresa enorme porque antes era só um hobbie e eu entrei no programa totalmente despretenciosa, somente para esse desafio pessoal de timidez e foi ótimo, as pessoas receberam super bem e eu lembro que no começo eu falei assim: olha, eu só não quero passar vergonha - risos - e eu acho que não passei, então minha missão foi cumprida". 

STL: Podemos esperar algum projeto como cantora?

Carol: "Eu não tenho nenhum plano, nunca tive um plano de carreira de cantora nem nada assim. Eu quero sim registrar, estou trabalhando em um projeto de registrar isso só para mim, mas sem pretensão nenhuma de plano de carreira". 

STL: Quem é a Carol Trentini em 1 palavra?

Carol: "Ai meu Deus, que difícil! É, deixar eu pensar eu em uma palavra... acho que "emoção", sou canceriana e isso é bom e ruim, mas eu sempre fui muito coração e emoção então eu acho que é uma palavra que me define". 

FOLLOW US ON instagram

Deixe um Comentário
Você também vai gostar