O retorno dos posts casuais, a valorização da não-estética e a nova tendência do Instagram

por Giulia Coronato

Imagine que estamos em 2012. Você baixa um aplicativo chamado Instagram no seu não-tão-tecnológico smartphone e imediatamente começa a compartilhar com seu seleto número de seguidores fotos completamente aleatórias. Algumas até tiradas do Tumblr, como a foto de um pug usando óculos escuros ou até um pôster estampado com a frase "Keep Calm and Carry On". Vez ou outra, um post de uma selfie borrada de quem ainda está aprendendo a usar a câmera frontal aparece e claro, usando um dos dois filtros disponíveis na época, "sepia" ou "black and white".

Quando olhamos para esse passado não tão distante, quase não reconhecemos o que o aplicativo de compartilhamento de fotos e vídeos se tornou. O que antes era usado como uma ferramenta de experimentação, diversão e compartilhamento tão descomplicada, hoje carrega um pressão gigantesca e é considerada por muitos estudiosos e psicólogos, o grande inimigo da saúde mental de adolescentes e jovens adultos. 

E se conseguíssemos voltar ao princípio do Instagram? Onde ter um feed combinando e uma estética definida não era importante? É isso que a Geração Z, disruptores culturais, estão fazendo acontecer. E ao que tudo indica, a volta dos posts casuais e a valorização da não-estética é a nova tendência do Instagram.

-               -               -               -               - https://stealthelook.com.br

Diversos fatores influenciaram e alimentaram essa nova tendência do Instagram e já a vemos sendo colocada em prática não somente por jovens pertencentes a GenZ, como também por influencers e celebridades ao redor do mundo.

Seja por uma necessidade de voltar à uma época onde tudo era mais fácil e simples ou pelo manifesto de ir contra a pressão e a "perfeição" tão valorizada pelas redes sociais, os posts casuais, sem estética, sem grandes edições ou sem grandes significados estão se tornando cada vez mais frequentes nos perfis dos usuários. 

Outro fator que impactou diretamente a volta dos posts casuais por impulso, foi o Tik Tok. O aplicativo com maior número de downloads em 2020 é dominado pelas gerações mais novas e considerado uma antítese do Instagram, por ser um espaço mais liberal e quase anarquista da Internet. A ascensão do aplicativo de vídeos e as postagens casuais caminham de mãos dadas, o sucesso do aplicativo, em parte, vem de ser a ântese otimista ao mundo exageradamente posado do Instagram.

@abigaillmarissa

it’s so fun honestly follow mine

♬ original sound - chelsea annabelle

A ascensão do aplicativo de vídeos e as postagens casuais caminham de mãos dadas, o sucesso do aplicativo, em parte, vem de ser a antítese otimista ao mundo exageradamente posado do Instagram.

É claro que a pandemia também foi uma das grandes responsáveis pela valorização da não-estética e da perda do sentido de posts perfeitos, esteticamente agradáveis aos olhos e muitas vezes, irreais. Passamos grande parte do ano passado isolados, sozinhos dentro de casa, o que de tão glamouroso e perfeito tinha nisso? Como iríamos sustentar uma pose e uma vida perfeita nas redes sociais se sabíamos que essa não era a realidade da maioria?

2020 viu e foi responsável pelo início de uma reação contra a perfeição e a irrealidade das redes. Com todos presos em casa, sem nenhum lugar para ir e ninguém para ver, o apetite pelo glamour e pelo luxo está em baixa. Em um ano de protestos e pandemia, onde muitos perderam emprego, moradia e lamentaram a perda de entes queridos, vídeos de unboxing, vlogs de viagens e selfies perfeitas com abdomens definidos, pareciam cruéis e excessivamente inacessíveis e a necessidade de um conteúdo mais real, com propósito e identificação, chegou para ficar. E é aí que nos deparamos com posts mais simples, divertidos, sem tanta edição e sem uma estética por trás, um post que a única intenção é compartilhar, se divertir e ser real. 

@emmachamberlain

-               -               -               -               - https://stealthelook.com.br

A nova tendência do Instagram, assim como todas as outras, também vem cercada de uma certa ironia e hipocrisia, quando o post casual sem estética se torna simultaneamente, a nova estética. A influenciadora e YouTuber Emma Chamberlain, ícone da Geração Z, é conhecida por postar uma mistura excêntrica de fotos lindas e posadas e outras "casuais", borradas, sem sentido ou edição e isso já rendeu para a mesma quase 12 milhões de seguidores na plataforma. Muitos seguidores de Chamberlain possuem uma apreciação de sua estética "bagunçada" alcançada por meio de postagens casuais, se tornando relacionável com a grande maioria das pessoas. Sendo assim, a identificação com o casual é algo criado e não feito a partir da espontaneidade.

-                 -                 -                 -                 - https://stealthelook.com.br

Mas ainda assim, abraçar a não-estética por meio desse estilo de postagem, é uma ótima forma de criar um espaço de individualidade que é tão escasso no Instagram. Ele oferece uma ruptura dos estilos monótonos de aparência idêntica, computadorizada e irreal que encontramos na grande maioria dos perfis atualmente. 

Seja uma tendência passageira ou não, a postagem casual está tendo seu momento de popularidade fugaz, fazendo com que o Instagram volte a ser um pouco mais divertido e real para o usuário. Mesmo daqui alguns meses ou anos, quando o grande novo sucesso ou estética favorita surgir, com sorte, a espontaneidade e o hedonismo de postar apenas para sua própria alegria, permanecerá.

Deixe um Comentário
Você também vai gostar