O desafio de diminuir o tempo de uso do celular e a extinção dos hobbies

por The Look Stealers

Que atire a primeira pedra quem nunca se assustou após receber a notificação do tempo de uso do celular. Apesar de todos estarmos cintes do vício que são as redes sociais e do quão apegados à telas somos, quando vemos em horas o tempo que passamos diariamente grudados em nossos smartphones, o problema fica real demais, e percebemos que o assunto é sério e merece atenção.

Segundo um estudo divulgado pela plataforma Cupom Válido, que reuniu dados da Hootsuite e WeAreSocial, o Brasil é o terceiro país do mundo que mais usa redes sociais e, de acordo com o estudo, os brasileiros ficam em média 3h42 por dia conectados, ficando atrás somente das Filipinas (4h15) e Colômbia (3h45). Mas, cá entre nós, sabemos que o tempo de uso do celular normalmente é bem mais alto do que a média nacional de 3h42, né? Principalmente para a porcentagem de pessoas que trabalha com internet diariamente. 

Pare por um segundo e pense nos intervalos de tempo livre que você tem durante o dia, e relembre o que você fez durante esse precioso tempo de ócio? Se sua resposta foi assistir à stories do Instagram ou rodar pela For You Page do TikTok, você provavelmente se encaixa na porcentagem de pessoas que extrapola no tempo de uso do celular. Mas, a boa notícia é que você não está sozinha, e tudo isso pode mudar. 

It girls - tempo de uso do celular - Iphone 13 no espelho  - Primavera - Street Style - https://stealthelook.com.br
Foto: Lindsey Holland (Reprodução/Instagram)

A década de 2010 será eternamente lembrada por ser a época das redes sociais, foi nesse período que o Instagram foi lançado, que os smartphones surgiram e que passamos a consumir qualquer tipo de conteúdo e produto via o aparelho eletrônico que está constantemente em nossas mãos. Nossos celulares viraram um tipo de extensão do nosso corpo e hoje é praticamente impossível sairmos de casa sem ele. 

Mas o assunto é muito mais sério do que parece. O excesso do uso dos smartphones não são só uma mudança comportamental da sociedade, e sim, uma causa de diversas doenças a curto e a longo prazo. A nomofobia é o nome que se dá para as pessoas que são viciadas em celular. E pode acreditar, não é exagero, esse vicio faz com que os celulares precisem estar em mãos o tempo inteiro e a maioria das pessoas nem notam o quanto estão utilizando o aparelho, só percebendo a dependência no último estágio do vício. Apesar de parecer inofensivo, o aparelho eletrônico que faz parte da vida de todas as pessoas, está causando diversas complicações que serão vistas durante muito tempo. Como problemas psicológicos, distúrbios do sono, complicações oculares, problemas de postura e por aí vai. 

Além de tudo, os celulares causaram praticamente uma extinção dos hobbies. Para muitas pessoas, a única atividade feita no tempo livre, é a exploração das redes sociais, enquanto atividades e práticas feitas no offline, perderam completamente sua relevância - o que mais uma vez mostra o quanto o excesso do tempo de uso do celular é na verdade, uma epidemia. 

Retomar hábitos saudáveis e controlar nosso tempo de uso é além de uma escolha responsável, uma medida preventiva para nosso futuro. Não sabemos qual será a herança de termos passado a vida inteira grudados em um aparelho eletrônico, ninguém sabe se esse excesso de telas irá trazer consequências mais graves ou problemas irremediáveis. O que sabemos é que apesar de ser um objeto facilitar em diversos sentidos, os celulares são uma faca de dois gumes e podem na mesma intensidade, te beneficiar e te prejudicar. Não queira diminuir o seu tempo de uso do celular como uma forma de competição ou de pressão externa, tente diminuí-lo pelo simples fato de estar ciente do que isso acarreta e de que por mais prazerosa que seja a distração, ela não passa de uma uma fuga. 

O excesso do uso dos smartphones não são só uma mudança comportamental da sociedade, e sim, uma causa de diversas doenças a curto e a longo prazo.

Nossa coordenadora de projetos, Jéssica Menasce, aceitou o desafio de diminuir seu tempo de uso do celular, substituindo as horas de tela pela recuperação de um hábito que ela tanto amava e acabou abandonando: a leitura. Durante uma semana inteira, Jé abriu mão do smartphone nas horas livres e mergulhou na leitura. Para conferir o vlog do desafio e dicas de como diminuir o seu tempo de uso, dê play aqui em baixo:

Você também vai gostar