Os desfiles mais icônicos e inesquecíveis de todos os tempos

por Izabela Suzuki

Cada artista possui um palco específico para exibir seus talentos, por exemplo, enquanto para as bandas e músicos, as turnês mundiais representam esse palco, para os diretores criativos, as semanas de moda cumprem muito bem essa função. Por isso, quando os designers criam coleções extraordinárias ou com um significado muito forte e genuíno por trás — e levam isso até as passarelas —, é exatamente aí que surgem os desfiles mais icônicos e inesquecíveis de todos os tempos. 

Como por aqui estamos no mood da temporada de fashion weeks, trouxemos uma lista com alguns dos desfiles mais icônicos que tivemos o prazer de ter visto — mesmo que seja através de registros —, e que definitivamente deixaram sua marca no mundo da moda, tornando-se referências para novos nomes e que são celebrados ao redor do mundo. Além disso, também fizemos questão de te contar todos os detalhes da coleção, a motivação do diretor criativo da época e quem estava presente. Gostou? Então, separe um tempinho do seu dia para conferir a pauta completa e vem com a gente:

alexander mcqueen n°13 - primavera 1999

Shalom Harlow  - vestido de tule branco tingido com as cores preto e amarelo - desfiles mais icônicos - Primavera - modelo desfilando com os braços abertos, cabelo no rosto e corpo com respingos de tinta - https://stealthelook.com.br
Foto: Shalom Harlow (Reprodução/Vogue Runway)

Tim Blanks, um exímio jornalista de moda, estava presente no dia e chegou a descrever o finale dessa coleção como “um momento marcante para a cultura pop mundial”. Além disso, precisamos falar que o desfile N°13 de Alexander McQueen foi muito mais do que moda, foi uma performance artística cheia de tecidos esvoaçantes, cores sólidas, especialmente no preto e cinza, sensualidade e braços robóticos.

Tudo parecia caminhar de forma tradicional, mas depois que a modelo Shalom Harlow chegou a passarela usando um vestido de tule branco e se posicionou em uma plataforma giratória, o desfile ganhou um show à parte. Os dois braços robóticos, que estavam parados até então, ganharam vida e em uma coreografia fashion, tingiram cuidadosamente a roupa de Shalom. No fim, a modelo desfilou praticamente tropeçando com elegância sob a plateia.  

thierry mugler le cirque - outono 1995

Desfile Thierry Mugler 1995 - vestido preto com adereço rosa e perolas no pescoço - desfiles mais icônicos - Outono - Modelo em pé em na passarela - https://stealthelook.com.br
Foto: Simonetta Gianfelici (Reprodução/Vogue Runway)

Mais de 100 looks foram apresentados nesse dia, todos extremamente extravagantes, únicos e sem um pingo de minimalismo. Thierry Mugler escolheu o Cirque D'Hiver, em Paris, para apresentar uma das suas coleções mais memoráveis de todas, além da sua inquestionável criatividade, o show — sim, um show —, contou com a apresentação do cantor James Brown e de nomes como Kate Moss, Naomi Campbell, Eva Herzigova e outras supermodelos na passarela. Mas calma, nem chegamos a mencionar o traje de ciborgue que foi revelado no meio do desfile — algo assustador e tentador para uma época que era marcada pelo início da internet. Esse também pode ser considerado um dos desfiles mais icônicos pela atuação e interpretação de personagens que cada modelo assumiu naquele dia, algo difícil de encontrarmos atualmente.

versace freedom - outono 1999

Naomi Campbell - vestido azul curto e botas pretas de látex de cano alto - desfiles mais icônicos - Outono - Modelo desfilando em passarela usando - https://stealthelook.com.br
Foto: Naomi Campbell (Reprodução/Vogue Runway)

Sim, as roupas dos anos 90 eram lindas, muitos consideram como uma das melhores épocas da moda, mas esse também foi o marco das supermodelos, foi a “golden age” da era fashion, e o desfile Freedom de Gianni Versace para a coleção de outono de 1999 pode provar nosso ponto. Depois der mostrado uma coleção com botas coloridas de cano alto — 23 anos depois e cá estamos nós, desejando o mesmo calçado novamente —, vestidos curtos, blazers coloridos e estampados em xadrez, Gianni, para a grande finale, mandou Linda Evangelista, Cindy Crawford, Naomi Campbell e Christy Turlington de braços dados para a passarela, cantando a música Freedom!'90 de George Michael. Definitivamente um marco no mundo da moda e com um espaço merecido na lista de desfiles mais icônicos

john galliano - outono 1994

Debbie Deitering - vestido longo preto com kimonos e cabelo preso em coque - desfiles mais icônicos - Outono - modelo de olhos fechados encostada de lado em uma cadeira - https://stealthelook.com.br
Foto: Debbie Deitering (Reprodução/Vogue Runway)

John Galliano estava sem nada no início de 1994, completamente sem dinheiro e dormindo no chão do apartamento de um amigo. No entanto, o estilista estava caído, porém, isso não significava que estava completamente de fora do mundo da moda. Com a ajuda de alguns novos patrocinadores e de amigos como Amanda Harlech e Stephen Jones, Galliano conseguiu montar um desfile com 18 looks inspirados no Ocidente e Oriente, além disso, a colecionadora de moda São Schlumberger, cedeu a ele um espaço no seu hotel particular, e todas as supermodelos — Naomi, Shalom e Kate, para citar algumas —, desfilaram de graça como forma de apoio ao designer. Um ano depois, John conseguiu um emprego na Givenchy e tornou-se o primeiro britânico a dirigir uma casa de alta-costura francesa.

alexander mcqueen the golden shower collection - primavera 1998

Gisele Bündchen - saia midi branca e tinta branca como blusa - desfiles mais icônicos - Primavera - modelo desfilando na passarela com chuva caindo - https://stealthelook.com.br
Foto: Gisele Bündchen (Reprodução/Vogue Runway)

Talvez você se recorde desse desfile pela história da Gisele Bündchen — para contextualizar, foi nesse dia em que a modelo descobriu que seu terceiro look era apenas uma saia, e quase cogitou a abandonar o show, no entanto, a maquiadora que estava presente no local teve a ideia de pintar um top com tinta branca sob o corpo de Gisele e então, a encorajou a andar pela passarela. Foi aí em que ela se consagrou como a maior modelo dos anos 2000. 

Como Alexander McQueen gostava de chocar as pessoas com suas ideias e coleções, é claro que esse desfile não ficaria de fora da nossa lista de hoje. A pedido dos patrocinadores, o show foi renomeado apenas como “Untitled”, mas isso não impediu o diretor de apostar em peças justas e cheias de aberturas provocantes durante a apresentação. Ao final dela, uma chuva torrencial atingiu a passarela, as roupas — que eram brancas —, ficaram completamente transparentes e a maquiagem pesada e escura das modelos escorria pelo rosto de cada uma. O resultado? Um desfile poderoso e inesquecível.

moschino ready-to-wear - outono 2014

Desfile Moschino - chemise amarela listrada com lapela vermelha, viseira e bolsa vermelha - desfiles mais icônicos - Outono - Modelo andando na passarela segurando uma bandeja cinza com uma bolsa vermelha de matelassê em cima - https://stealthelook.com.br
Foto: Desfile Moschino (Reprodução/Vogue Runway)

Pode não ser tão icônico como os que foram citados acima, no entanto, ele é, no mínimo, memorável. O desfile début de Jeremy Scott para a Moschino foi recheada de elementos divertidos e looks interessantes. O M de Moschino ganhou uma releitura orgânica e fazia referência direta a rede de fast food McDonald's — isso sem mencionar a cartela de cores escolhida para o primeiro bloco do desfile. As bolsas viraram um objeto must have da temporada e conquistou inúmeras personalidades naquele ano. Desde então, ficamos esperando ano após ano para ver o que o estilista ira trazer para nós, já que sua ousadia e polêmicas fazem parte da sua personalidade cativante. 

gucci - outono 2018

Desfile Gucci - saia midi xadrez, calça azul, tênis e casaco estampado de mangas longas - desfiles mais icônicos - Outono - modelo desfilando pela passarela segurando uma réplica da sua cabeça - https://stealthelook.com.br
Foto: Desfile Gucci (Reprodução/Vogue Runway)

Não é todo dia que vemos modelos andando pela passarela carregando réplicas das suas cabeças como acessório, correto? Bom, Alessandro Michele é conhecido pelas suas coleções ousadas, e nesse caso, ele quis representar o laboratório que ele tinha em sua cabeça, para isso ele colocou uma série de pessoas andando por um conjunto de salas de operação, todas com roupas de diferentes culturas. Para o estilista, essa foi uma metáfora de como as pessoas constroem suas identidades através de um mundo tomado pelos poderes da tecnologia, Instagram, Hollywood e, claro, Gucci. “Nós somos o Dr. Frankenstein de nossas vidas”, disse Alessandro.

Muitos consideraram o desfile como inovador, provocativo e, de certo modo, perturbador - de novo, as cabeças. Além disso, o desfile foi um convite para a quebra de papéis binários na sociedade. “Não existe mais apenas ser menina ou menino hoje: agora, temos que decidir o que queremos ser”, completou. 

viktor & rolf fashion statements - primavera 2019

Desfile Viktor & Rolf - vestido longo branco de tule com escrito
Foto: Desfile Viktor & Rolf (Reprodução/Vogue Runway)

Viktor Horsting e Rolf Snoeren se questionaram até que ponto seria possível dizer algo através das roupas. Bom, o ateliê deles imaginou 18 looks compostos por vestidos esvoaçantes feitos de tule e em cores vivas, alguns com mangas bufantes, outros com camadas e mais camadas de saias, bom, não importa o modelo, o que importa é que a coleção falou por si só. No entanto, os estilistas disseram que não queriam impor nenhum significado, nos convidando a chegarmos as nossas próprias conclusões. Toda tipografia nos vestidos foi feita com um design gráfico variado, ou seja, além da escolha de um tema metafórico como declaração de moda, havia cuidado e busca pela perfeição em cada uma das peças apresentadas.

Leia mais

A origem das peças mais icônicas e famosas da história da moda

História da moda: Gucci

5 livros de moda que toda stylist precisa ler

Você também vai gostar